Marketing Digital ou Digitador de Luxo – como sobreviver no mercado?

Marketing Digital ou Digitador de Luxo – como sobreviver no mercado?

O que fazer para se manter relevante, moldar seus diferenciais e sobreviver em mercados cada vez mais competitivos?

A realidade é impiedosa: se você se dedica a trabalhar e estudar ferramentas e operacionalização do Marketing Digital, tenho uma péssima notícia…

A maior parte dos profissionais de Marketing Digital tem atuado majoritariamente como pilotos de computador.

O foco em atividades operacionais fará com que, hoje ou muito em breve, você seja substituído por um robô (e, por “robô”, entenda as diversas possibilidades tecnológicas de automação, inteligência artifical etc).

Leia o post e assista ao vídeo complementar.

O cenário só irá agravar

Minha primeira palestra, em 1999, logo após ter ganhado o prêmio Intercom tratou dessa mesma temática.

Na altura, atuando como jornalista para o Cadê? (o principal site brasileiro à época), na prática meu trabalho era o de garimpar e compilar informações de fontes de notícias (Reuters, France-Presse, AP etc) e colocar o conteúdo no site do Cadê?.

Alguns meses após minha entrada na empresa, a área de tecnologia criou um sistema que ia, sozinho, diretamente às fontes, copiava os textos e imagens e os disponibilizava para os usuários do nosso site.

Logo percebi que tinha que tomar uma decisão: ou eu me preparava, ou um robô iria tomar meu lugar.

Nino Carvalho em entrevista no DES-Madrid 2019
Nino Carvalho em entrevista no DES-Madrid 2019

 

Interessantemente, 20 anos depois, abordei o mesmo tema em duas palestras em eventos internacionais: o Digitalks (em Portugal) e o DES-Madrid (Espanha).

O primeiro é o principal evento de Digital Business do Brasil (em 2019 estreou em Lisboa), enquanto o segundo é o mais importante evento de Digital Transformation do mundo.

A problemática segue e está cada vez mais voraz

Não é difícil entender as razões que nos trazem até essa discussão.

As atividades mais simples (como editar imagens, ativar uma régua de relacionamento etc) sempre tenderão a ser total ou parcialmente executadas por máquinas. Isso acontece em qualquer indústria, há muitos e muitos anos.

Em atividades mais táticas que demandam pouca qualificação (gerir campanhas de mídia ou postar em redes sociais, por exemplo), o problema pode não ser tanto os robôs, mas a altíssima competição com outros profissionais.

Por se tratar de questões mais simples, praticamente qualquer pessoa (mesmo com pouco treinamento) conseguirá executar.

O resultado é óbvio, quando há tanta oferta de profissionais disponíveis para executar tarefas pouco complexas, obviamente nenhuma empresa precisa se preocupar em pagar boas remunerações ou em manter o profissional na posição…

Na maior parte dos casos, um estagiário ou um júnior dará conta do recado.

Em suma, se seu foco é ferramental, operacional ou tático, ou estará fora do mercado ou terá de se contentar com salários cada vez mais reduzidos.

Qual é a sua praia?

Antes de atingir o topo de sua carreira e gozar as benéfices do sucesso, saiba que há três castas de profissionais no mercado.

Mandatoriamente você está ou irá passar por alguma delas.

Veja a pirâmide das Castas de Profissionais de Marketing a seguir:

Pirâmide das Castas de Profissionais de Marketing Digital
(Carvalho e Schweitzer, 2019)

 

Pare por uns minutos.

Perceba e reflita acerca das diferenças entre as características de cada uma das castas.

Quanto mais na base da pirâmide, ou seja, quanto maior sua dedicação ao operacional e ferramental, mais provável que vá definhando em agonia até perder sua vaga definitivamente para uma solução automatizada (ou para outro profissional, mais barato que você).

Por outro lado, os que alcançam posições com foco em Estratégia, não apenas enfrentam desafios mais intelectuais e financeiramente mais recompensadores, mas também possuem um terreno muitíssimo maior a ser explorado – quase como uma floresta virgem, fértil, com pouca competição pelos recursos e benefícios.

É preciso que você reflita acerca de questões como: Onde você se encontra na pirâmide? O que está fazendo para migrar de patamar? Quais suas deficiências hoje? Como saná-las?

O que você precisa fazer para ter sucesso

Para você fugir do oceano vermelho, não ser mais um braço rudimentar no mercado e conquistar uma posição de maior destaque, é preciso focar em Estratégia:

  • Mentalidade Estratégica
    É essencial que você desenvolva uma Mentalidade Estratégica. Esteja sempre alerta -paranóico!- em relação à concorrência. Sempre reflita sobre como mesmo as mais pequenas mudanças no mercado impactam no ecossistema como um todo.
  • Gestão de Cultura
    Com o caminhar, cada vez mais veloz, das mudanças, é preciso que o estrategista aprenda a ler, interpretar e se entrosar na cultura da empresa/clientes. Você precisará saber se adequar a um ambiente de disrupções constantes, frequentes.
  • Gestão de Pessoas
    Os trabalhos são executados por times mais diversos, pessoas atuando remotamente e, por vezes, com agendas distintas. Um mentor que tive na época do Mestrado sabiamente orientou “Foque em saber gerir pessoas. Os executivos mais bem sucedidos que conheço são aqueles que aprenderam a lidar com a diversidade de/das pessoas”.

É claro e óbvio – quanto mais você demorar a entender e aceitar que o mercado está estruturado nestas três castas (Ferramental/Operacional, Tático e Estratégico), maior será sua chance de padecer e perder as oportunidades em sua carreira.


 

Então, foque na Estratégia e busque o seu Oceano Azul 😉

Você também irá gostar de:

 

Compartilhe:
Compartilhe:

Nino Carvalho

Consultor e professor internacional, com mais de 20 anos de carreira em Estratégias de Marketing na Era Digital. Portfólio e experiência inclui algumas das maiores marcas do mundo, como Toyota, NFL, Ericsson, Dow, Dupont, EDP, MDS Group, Johnson & Johnson, IBM, Qualcomm, entre outras. É Mestre (IBMEC, BR), Pós-graduado em Strategic Marketing (CIM, UK) e PhD Candidate (Universidade do Porto, PT e University of Texas Austin, EUA).
Fechar Menu